Torcida da “NaSSão” protesta por vídeo chamar o FRamengo de FRamengo

 

Mas divertido mesmo tá ver os bilhões de pacatos e ordeiros torcedores do Invencível Mengão reclamando do vídeo que a Adidas fez para lançar a nova camisa da “NaSSão”.
Não vi nada demais no filme: o torcedor usa uma máscara para não ser reconhecido, chama o cordato e simpático clube por seu nome de batismo “FRamengo”, entra na sede do clube pelos fundos e rouba a nova camisa- que por sinal é horrorosa, ainda mais sendo carregada por um urubu famélico e mais feio que bater em mãe.
O vídeo é perfeito, a cara da “NaSSão”! Deve ser esse o motivo do chororô da urubuzada.
Ai, ai, ai… “Eu teria um desgosto profundo se faltasse o FRamengo no mundo.”
Eu si mi advirto-mi-me com o Invencível!

Um urubu me aporrinhando logo cedo

Sacaneando o Flamengo

 

O domingo começou bem

Fui ao mercado agora cedo. Estava com uma camisa do Botafogo. Na fila, que tinha umas 8 pessoas, um toquinho de amarrar jumento de metro e meio mais ou menos, vira-se para mim e diz com aquela empáfia bem característica deles: Eu sou Mengão!
Olhei bem pra cara dele e disse: E eu não sou padre, que é quem ouve e perdoa pecado… Passar bem!

Algumas humilhações que o Botafogo impôs ao Flamengo

O Botafogo e suas loucuras

O jogo do urubu sentado:

Em 1944 o Botafogo venceu o Invencível Mengão por 5 x 2. No quinto gol do Glorioso a bola entrou mais de 10 metros e o juiz, que era honesto, validou nosso gol. Os jogadores do urubu, inconformados com a sova que levavam, alegaram que a bola não havia entrado e resolveram fazer manha. Sentaram-se no gramado e recusaram-se a continuar levando o justo corretivo que o Fogão lhes dava. Depois de muita pirraça, abandonaram o gramado.

O dia que os urubus deram a volta olímpica de ré:

Em 1968, na penúltima rodada da Taça Guanabara (que, à época, era um campeonato independente do Carioca), os urubus derrotaram o Fluminense e comemoram efusivamente a conquista do título, dando inclusive volta olímpica no Maracanã…Mas faltava-lhes jogar contra o glorioso Bonsucesso na quarta-feira seguinte para sacramentar o título. Perderam por 2 x 0 e foram obrigados a fazer um jogo-extra com o Botafogo. Levaram um sonoro 4 x 1 no meio dos bicos. Após o término do jogo, Gérson, capitão do Botafogo, exigiu que devolvessem a volta olímpica…. E saíram, os urubus, a dar nova volta, desta feita de ré. Para delírio da torcida Alvinegra, que ria à desbragada da patética cena da urubuzada devolvendo a volta olímpica antecipada que haviam dado.

O presente de aniversário dos urubus:

Em 15 de novembro de 1972 o Botafogo deu o maior presente de aniversário de toda a história do futebol: jogamos com os urubus na data do aniversário do pacífico e simpático clube. Demos 6 gols de presente a eles. Um 6 a 0 histórico! O maior 6 a 0 de todos os tempos!

Um de nossos gols, foi marcado marcado por Jairzinho de letra, para dar um pouco de educação à turba da ignara “NaSSão”. Eu estava no Maracanã, e foi tão sublime o gol do Jair que ao olhar para cima vi a estátua do Cristo aplaudindo efusivamente a obra-prima de nosso Furacão.

Têm muitas outras, mas depois conto…

O Botafogo é o responsável ( irresponsável, na verdade ) pela existência do Flamengo

A Flapress esuas manchetes sobre o Mengão

O Flamengo surgiu do despeito e da inveja. Eu explico: em fins do século XIX o esporte mais popular no Brasil era o remo. No intuito de participar das concorridas regatas da época, em 12/08/1894, alguns jovens de Botafogo fundaram o Club de Regatas Botafogo. Logo começaram, os belos guapos alvinegros, a fazer sucesso entre as meninas não só do bairro que moravam, mas também entre as moçoilas do bairro vizinho, Flamengo. Incomodados com a situação e com inveja dos remadores alvinegros, no ano seguinte ( 15/11/1895 ) alguns rapazes do Flamengo criaram o Club de Regatas Urubu, desculpem, Flamengo. Nasceram, portanto, os urubus, do despeito e da inveja do sucesso alheio.

E, como não poderia deixar de ser, a turba da “NaSSão” já estreou fazendo lambança: “Na primeira regata disputada pelo recém-fundado Clube de Regatas do Flamengo, os remadores deste bateram em uma bóia de sinalização e adernaram, tendo sido salvos por uma guarnição do Botafogo, que rebocou o barco rubro-negro até a linha de chegada.”

Até a data de hoje, nem ao menos um muito obrigado como forma de agradecimento por sermos os responsáveis ( na verdade, irresponsáveis ) por sua existência recebemos dos pacatos e ordeiros torcedores da “NaSSão. Ou seria “Danação”?

Uma perguntinha que não quer calar: você salvaria os urubus náufragos ou faria de conta que nem os viu se afogando?

O dia em que o Botafogo fez o Flamengo dar volta olímpica de marcha à ré

O Botafogo e suas loucuras
Em 18 de setembro de 1968 o Botafogo protagonizou um fato inédito na história do  futebol: foi a primeira vez que um time, o Flamengo, teve de devolver uma volta olímpica. É isto mesmo que estão lendo, nós fizemos os urubus darem marcha à ré em uma volta olímpica. Eu vos explico: à época, a Taça Guanabara era um campeonato separado do Estadual e tinha muito mais valor que hoje. Na penúltima partida do torneio o Flamengo venceu o Fluminense por 2 x 0, se igualou em número de pontos ao Botafogo e ainda tinha um jogo por fazer contra o Bonsucesso. Terminada a partida com o Flor, os pacatos e ordeiros torcedores da “NaSSão” fizeram uma imensa festa no Maracanã comemorando o título. Com direito a volta olímpica, foguetório na cidade, choro do presidente da Flapress, Renato Maurício Prado, e o diabo a quatro…
O Botafogo, quase sem chances, foi para Goiás fazer um jogo amistoso.
Na quarta-feira à noite, o Maracanã estava abarrotado de urubus para receberem as faixas e a taça. Outra grande festa!
Só esqueceram, os arrogantes e prepotentes urubus, de combinar com o valoroso esquadrão do Bonsucesso, o popular Bonsuça, que lhes meteu um glorioso e inesquecível 2 x 0 no meio das fuças- ou dos bicos, no caso em tela.
Com o inesperado resultado, Botafogo e Flamengo terminaram empatados em número de pontos e foi necessário realizar um jogo extra para decidir o torneio.
Voltamos às pressas de Goiás para a decisão e demos um show: 4 x 1, gols de Gérson (2), Zequinha e Roberto para nós. O deles não sei e não quero saber quem fez.
Depois da partida, Gérson, o canhotinha de ouro e capitão do Botafogo,se dirigiu ao capitão Rubro-Negro e exigiu que devolvessem a volta olímpica antecipada que haviam dado no jogo com o Flor.
E assim foi feito, os urubus deram uma volta olímpica ao contrário- de ré!-, sob sonoras gargalhadas da torcida do Fogão!

Dados da partida:

BOTAFOGO 4×1 FLAMENGO
» Gols: Gérson 9’ e (pen.) 74’, Zequinha 65’, Roberto 81’ (Botafogo) Dionísio 61’ (Flamengo)
» Competição: Taça Guanabara (decisão)
» Data: 18.09.1968
» Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
» Renda: NCr$ 331.583,25
» Público: 94.535 pagantes
» Árbitro: Armando Marques
» Botafogo: Cao (Wendell), Moreira, Zé Carlos, Leônidas (Dimas) e Waltencir; Carlos Roberto e Gérson; Zequinha, Roberto, Jairzinho e Paulo Cézar. Técnico: Mário Zagallo.
» Flamengo: Ubirajara Alcântara, Murilo, Onça (Jorge Andrade), Guilherme e Paulo Henrique; Carlinhos, Nelsinho (Dionísio), Liminha e Rodrigues Neto; Silva Batuta e Fio Maravilha. Técnico: Válter Miraglia.
Obs: 1. O Flamengo jogou de branco; 2. Gérson cobrou dois pênaltis: o primeiro aos 49’, Ubirajara Alcântara defendeu; o segundo ele converteu aos 74’.

Exclusivo: adiantamos algumas contratações do Mengão para 2016

Sacaneando o Flamengo

Notícias do Invencível Mengão

Semana que vem o Invencível Mengão começa a anunciar suas contratações para 2016: Guardiola será o treinador e para reforçar o elenco virão Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar, Robben, Pogba e Luís Soares.
Todos se ofereceram para jogar de graça no Invencível, pois são torcedores da “NaSSão” desde que eram crianças e querem realizar o grande sonho de suas vidas.

Ahhh!… E um urubu ligado à Flapress, me contou que a diretoria do cordato e simpático clube vai aproveitar o ensejo e fazer um ampla reformulação em seu poderoso Departamento de Árbitros, que em 2015 teve pífio desempenho, com poucos vitórias conseguidas pelo Invencível graças aos valorosos  “atletas” do apito amigo da “NaSSão”.

Só digo o seguinte: o dia que cruzarem um pacato e ordeiro torcedor do Invencível Mengão com um argentino, podem ter certeza meus amigos, vai nascer um urubu tendo a mais absoluta convicção que é um condor.

Amor antigo: Mengão levava juiz para apitar seu jogos

Pois é… Depois eles, os pacatos e ordeiros torcedores do Invencível Mengão, dizem que é chororô, mas levar o próprio juiz na delegação, como podem ver na notícia do quadro, deve ser um fato inédito na história do futebol mundial.

Em Interrogações nós matamos o urubu e não mostramos pau nenhum, que quem mexe com pau é tricolor; aqui matamos catartídeos é na pena e sem pena…

Ahhh.. Chega de escrever sobre o óbvio, melhor é rir dele.

Eu si mi advirto-mi-me com a “NaSSão”!

A hilária notícia “roubei” no Mundo Botafogo blog do grande Rui Moura, o mais botafoguense dos lusitanos, onde podemos encontrar tudo sobre a história do Botafogo.