Conviver com cães reduz risco de traição cometida por falsos amigos humanos

A maravilha que é conviver com cães

Um estudo publicado na BBC afirma que convívio com cães reduz risco de asma em crianças.

Na verdade, afirmo eu, o maior benefício da convivência com cães é que ela reduz a zero a chance de sermos traídos por falso amigos humanos.

Cachorros não sabem o que é dinheiro, poder, política, status e outras invenções humanas criadas para submeter seus semelhantes.

 

A notícia está na BBC-Convívio com cães ‘reduz risco de asma em crianças’

Eduardo Cunha é um pouco a cara do Brasil

Eduardo Cunha corrupto

Oportunista. Cínico. Corrupto. Gosta de levar vantagem sempre. Não tem escrúpulos em usar o poder em benefício próprio. E gosta de ser assim, não faz questão de esconder que é um “canalha primordial” como diria o grande Nélson Rodrigues.

Assim é o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o odiado presidente da Câmara dos Deputados. Suspeito que o ódio que muitos devotam a ele, não passa de um reflexo… É isso mesmo, o Cunha é apenas o reflexo da sociedade que construímos. E muitos dos que o odeiam defendem canalhas tão ou mais canalhas que o Cunha- mas, sonsos que são, são canalhas com  discurso ideológico politicamente correto, que falam em igualdade e justiça social para encobrir suas falcatruas e enganam muitos desavisados com isso… Roubam, mas não em benefício próprio, dizem os ladrões politicamente corretos, mas sim em nome da suposta “causa” que defendem.

Ainda bem que  Polícia Federal não pensa assim, e está engaiolando estes gatunos supostamente politicamente corretos aos borbotões. Cínicos é o que na verdade são.

Ah, e não odeio o Cunha, ele é um digno representante de sua agremiação partidária, o PMDB, que eu sempre afirmei não ser um partido político, mas sim uma quadrilha organizada para saquear o Estado brasileiro.

José Sarney, Renan Calheiros, Michel Temer, Eduardo Cunha, Jader Barbalho, Moreira Franco, Romero Jucá, a família Picciani… Esses, juntos, formam o quê?

Que o Cunha tenha a punição que merece, mas ele é apenas uma pequena engrenagem da gigantesca teia de corrupção que enredou todo o Estado brasileiro.

Eu odeio a corrupção, não o Cunha.

Sou profeta só d’eu

Eu não desacredito, apenas sou cético quanto aos exércitos radicais, sejam
eles religiosos, ideológicos ou politicamente corretos.
Só existe uma liberdade. A de duvidar e questionar.
Não me tragam certezas- detesto-as.
Sou, é certo, incerto. Sou solidão não multidão.
A solidão é múltipla. A multidão una. 

Sou profeta só d’eu. Não de seu eu, ou de outros eu.

E rio, que desce para o mar. E rio, da onipotência do poder. Rio até não mais
poder. E misturo-me nas águas infinitas do oceano. Só.

Só acredito no que diz a Madalena, minha mula-sem-cabeça-com-estrela-na-testa

O Barão e seus "desaforismos"

A NASA anda procurando sinais de vida no espaço; podiam também procurar sinais de inteligência no Brasil.

“Tivemos um problema político sério, porque ganhamos a eleição com um discurso e depois das eleições tivemos que mudar o nosso discurso e fazer aquilo que a gente dizia que não ia fazer”
Lula, em discurso proferido ontem (29/10/2015) na reunião do Diretório Nacional do PT, em Brasília

Tá gravado, mas depois o Lula vai dizer que não foi bem isso que quis dizer.

O também ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso, depois que assumiu o poder pediu que esquecessem tudo o que ele escreveu em sua carreira de sociólogo.
O poder, acima de tudo, torna as pessoas mentirosas. Ou mais mentirosas do que já são normalmente.

Podemos até não ter vida inteligente, mas político mentiroso para enganar nossa pobre e indigente gente é o que não nos falta.

É por declarações como essa do Lulinha que eu só acredito no que diz a Madalena, minha mula-sem-cabeça-com-estrela-na-testa, que até hoje nunca me disse uma mentira. Ao contrário de líderes políticos e religiosos- que, em geral, são contumazes mentirosos.

“Abdicar de pensar também é crime”

Se submeter ao poder por interesse próprio é a maior das covardias. Dizer sim quando deveria dizer não é a suprema canalhice que um homem pode fazer consigo e com seus semelhantes.

E quantos o fazem todos os dias apenas para manterem-se no poder e sentirem-se superiores. São, na verdade, a escória mais abjeta da humanidade, os covardes que abaixam a cabeça e dizem sim, quando querem dizer não, mas têm medo de perder o direito de exercer o pequeno poder pelo qual se humilham pelo simples prazer de, mais à frente, poder humilhar os mais fracos.

“Abdicar de pensar é crime”, como bem o disse a grande Hannah Arendt, mas é também a suprema humilhação a que um homem se submete pelo simples prazer de ter um pouco de um abjeto… poder.