Carta de um homem para Papai Noel

 

Papai Noel,
me perdoe o desabafo, mas há muitos anos venho querendo  escrever essa carta. Tantos que hoje escrevemos e-mails  no lugar de cartas. Enviei para o seu, espero que entenda o que vou dizer.
Eu fui um garoto muito pobre, Papai Noel. Muito mesmo. E você nunca passou no casebre em que morava com meus pais e irmãos para deixar um presente no Natal. Via outros garotos com um monte deles e eu e meus irmãos sem nada. E meus amiguinhos de miséria também. Por quê, Noel, pode me explicar? Eu não entendia… Hoje sei os motivos, mas continuo sem entender.
Logo na suposta data de nascimento de Jesus Cristo, que viveu na pobreza e pregava a humildade, a bondade, a caridade, o amor ao próximo, por quê?! Eu chorei muito, tinha muita vontade ganhar de uma bola de couro para jogar futebol com meus amigos, mas o senhor sempre nos ignorou. Hoje posso comprar. Estudei como um louco, passei muitas privações, mas venci. Este ano, e desde que posso, comprei várias bolas, Papai Noel.
Ontem mesmo, passei em um bairro pobre e vi várias crianças ( entre oito e dez anos ) jogando uma pelada com uma bola toda remendada. Parei o carro, peguei uma das bolas e dei para as crianças. Foi uma linda e emocionante algazarra… Uns me abraçaram, outros me beijaram… Quando eu ia saindo, olhos umedecidos, uma delas me perguntou: – Quem é você?!
– Sou Papai Noel- respondi.
– Não é nada, você não tem barba!?- exclamou.
– Mas tenho coração!
Dei-lhe mais um abraço, um beijo e fui-me…
Feliz Natal, Papai Noel!
E fique com o abraço de um homem que não deixou a criança morrer em seu coração, apesar de nunca ter ganho um presente de Natal.

Anúncios

Se o Eduardo Cunha fosse negro e pobre tudo estaria resolvido

Eduardo Cunha corrupto

Resumindo a bagaça

Se o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fosse negro e pobre tudo estava resolvido: ele estaria preso e sendo torturado; se sobrevivesse às torturas seria jogado em uma cela fétida com centenas de outros infelizes.

Mas como é ladrão rico, branco e poderoso fica-se nessa veadagem toda, e somos obrigados a suportar um ladrão exercendo um dos cargos mais importantes da República.

Ah, só pra lembrar:  existem hoje no Brasil quase 250 mil pessoas presas sem julgamento ou que já cumpriram suas penas e continuam detidas por falta de quem olhe por elas como seres humanos, e não como lixo.

Lixo de verdade são esses canalhas que roubam milhões de dinheiro público e, com o dinheiro roubado do povo, pagam os melhores advogados para defendê-los.