O que podemos esperar do Botafogo em 2016

O Botafogo e suas loucuras

Um amigo de sofrimento alvinegro me indagou o que poderíamos esperar do Botafogo em 2016.

Disse-lhe que não faço a mínima ideia, pois se existe algo quase (igual ou mais é impossível) tão complicado e insondável quanto o cérebro feminino este algo é o glorioso Botafogo de Futebol e Regatas.

O Botafogo é assim: quanto achamos que estamos no paraíso, ele nos leva às profundezas do inferno num átimo de segundo; e vice e versa e versa em vice.

Por isso o Botafogo, como as mulheres, é apaixonante!

De resto, o jeito é aguardar e orar…

Por amor à preguiça vou virar muçulmano

 

 

Ô preguiça! Vontade de ficar espichado ao sol feito uma lagartixa.

Acho que vou para o inferno. Sou preguiçoso, guloso, além de desejar a mulher do próximo e a do seguinte. Se forem bonitas, óbvio. Quando o Botafogo perde ficou irado e com raiva.

Invejoso soberbo e avarento sou não. Perdi por quatro a três. Mas pouco me importa, não quero ir para o paraíso cristão e virar um daqueles anjos assexuados com cara de babaca!
Vou é virar muçulmano! O paraíso deles é bem mais justo, animado e divertido. Se me tornar um homem-bomba e pela causa me explodir, serei considerado mártir e terei setenta e duas virgens para possuir. Sem sogras pra atazanar, sem ter de discutir a relação e sem ser obrigado a pagar pensão alimentícia. É só furunfar! Ah, e o fornecimento de Viagra é gratuito e ad eternum.
Isto sim é um paraíso decente para um sujeito preguiçoso, que prefere fornicar no lugar de trabalhar ou orar.Vou é pra lá, em nome de Alá!

Entrar no Paraíso Brasileiro é um inferno para quem é pobre

Zequinha faleceu tem quase um ano. Bom filho, bom amigo, bom marido, bom pai, bom cristão. Sua bondosa alma foi direto ao paraíso. O brasileiro. Se não sabem fiquem sabendo: o paraíso também é dividido em estados… celestiais.

Com uma folha corrida espiritual pra lá de limpa, nosso Zequinha chegou todo pimpolho ao portal de entrada do Paraíso Brasil para gozar sua merecida aposentadoria eterna.

Mas esbarrou na burocracia celeste brasileira. O porteiro, um negão afrodescendente forte pra cacete, barrou o Zequinha e pediu sua documentação post-mortem. Zequinha, que quase morreu de novo, desta feita de susto, e disse que não sabia que precisava de documentação para entra no paraíso.

Jorjão, o chefe da portaria, com ar de poucos amigos, disse ao aparvalhado Zeca:-“Tá pensando o quê, chefia? Isso aqui é a eternidade do Brasil… Toma aí a lista de documentos para ingressar aqui, se quiser te arrumo um despachante meu chapa que agilizará sua entrada. É um pouco mais caro, mas muito mais rápido e minha pessoa, como conhece o trabalho dele, faz vista grossa para algum detalhe que estiver faltando. Eis a lista de documentos necessários para legalizar sua entrada no Paraíso Brasil…

Ao ver a lista, o espírito do Zequinha ficou vermelho… de raiva!

Eis os documentos necessários para o ingresso no Paraíso Brasil: certidão de nascimento, certidão de casamento averbada em cartório, título de eleitor e um nada consta da Justiça Eleitoral do Brasil terreno, CPF, Identidade, certidão negativa da Receita Federal, certificado de reservista, passaporte celestial, carteira de motorista e o documento mais importante: a certidão de óbito.

Tá lá o nosso bom Zequinha, pedindo esmola na porta do Paraíso- e, com outros companheiros de agruras, acaba de fundar o MSP- Movimento dos Sem-Paraíso-, para ver se conseguem o que lhes é de direito.

Ao lado da porta principal do Paraíso Brasil tem outra, só para os que têm curso superior, políticos, empresários e altos funcionários da burocracia estatal, que têm passaporte diplomático celeste para ingressarem sem burocracia e sem investigação de suas vidas pregressas no burocrático, elitista, fisiologista, patrimonialista, nepotista e injusto Paraíso Brasil.