Aos canalhas do meu Brasil varonil: Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

 

Aos hipócritas
que nesta época
abraçam a todos 
com seus sorrisos falsos:
Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

Aos corruptos que saqueiam
os cofres da Nação com seus
poderes sórdidos:
Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

Aos nossos podres poderosos
com seus ternos bem cortados
e seus colarinhos- brancos
de falta de vergonha:
Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

Aos que prejudicaram 
o glorioso Botafogo:
Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

Aos canalhas do meu Brasil varonil:
Eu vos desejo um péssimo Feliz Natal!

Divagações sobre mulheres, Botafogo e o hedonismo do Natal

Interrogações é um espaço pós-moderno, dedicado a quebrar tabus e preconceitos.Esse negócio de Feliz Natal não cabe em um espaço progressista e iconoclasta como este. Natal é puro hedonismo consumista de uma sociedade doente e conformista aos ditames da grande indústria capitalista. Aqui não seguimos modismos nem manadas. Se gostasse de ser igual a todo mundo e seguir manada ou bando torceria pelo Flamengo . Mas detesto obviedades. Por não óbvio, sou Botafogo. No mundo só existe uma coisa tão complicada quanto o Botafogo: o cérebro feminino. Por isso as mulheres são maravilhosas: imprevisíveis, inconstantes, criativas- conseguem, do nada, arrumar uma enorme balbúrdia em um átimo de segundo, dando sabor à vida. Nos levam do céu ao inferno como num passe de mágica. O Botafogo idem.
Mas do que estava falando mesmo? Me perdi….Mulheres e Botafogo sempre foram a minha perdição. Ah, sim…do Natal…Bem, tenham todos um Feliz Natal!

Pedido da torcida do Botafogo a Papai Noel

Papaizinho Noelzinho querido,

vou te fazer um pedido muito difícil de ser atendido, mas espero que o senhor tenha a boa vontade e a misericórdia cristã de atendê-lo.

Sabe, Noelzinho, eu e a torcida do Botafogo estamos cansados de tanto sofrer, vê se consegue nos dar um time decente em 2016. Não, Nonozinho querido, não precisa ser nenhum Barcelona, mas um que não nos mate de vergonha e raiva.

Pense nisso com carinho, Papá Nonô, e nós, alvinegros, seremos-lhe eternamente gratos.

Um feliz Natal é o que este lindo, gostoso, genial, porém humildoso, Barão de General Severiano, protetor do Botafogo, deseja a você, bom e amado Noel.

Obs: Se esse Papai Noel, depois do tanto que eu puxei seu saco (o de presentes), não atender meu pedido vai ter se ver comigo e ainda ouvir poucas e boas!

DE Natal quero ganhar uma propina legal bem gorda

Eu já pedi meu presente de Natal ao Papai Noel. É segredo, mas como sei que vocês não são fofoqueiros, vou contar.

Eu pedi ao bom terceiro-idosinho (dizer velhinho é preconceito) para ganhar uma propina bem grande de uma empreiteira.

Mas propina legal, rigorosamente dentro da lei, que nem  que nem as doações que os empreiteiros fazem aos partidos políticos: com nota fiscal, recibo de doação e tudo o mais.

Nós, brasileiros, somos mesmo foda! Inventamos a corrupção legal.

Carta de um homem para Papai Noel

 

Papai Noel,
me perdoe o desabafo, mas há muitos anos venho querendo  escrever essa carta. Tantos que hoje escrevemos e-mails  no lugar de cartas. Enviei para o seu, espero que entenda o que vou dizer.
Eu fui um garoto muito pobre, Papai Noel. Muito mesmo. E você nunca passou no casebre em que morava com meus pais e irmãos para deixar um presente no Natal. Via outros garotos com um monte deles e eu e meus irmãos sem nada. E meus amiguinhos de miséria também. Por quê, Noel, pode me explicar? Eu não entendia… Hoje sei os motivos, mas continuo sem entender.
Logo na suposta data de nascimento de Jesus Cristo, que viveu na pobreza e pregava a humildade, a bondade, a caridade, o amor ao próximo, por quê?! Eu chorei muito, tinha muita vontade ganhar de uma bola de couro para jogar futebol com meus amigos, mas o senhor sempre nos ignorou. Hoje posso comprar. Estudei como um louco, passei muitas privações, mas venci. Este ano, e desde que posso, comprei várias bolas, Papai Noel.
Ontem mesmo, passei em um bairro pobre e vi várias crianças ( entre oito e dez anos ) jogando uma pelada com uma bola toda remendada. Parei o carro, peguei uma das bolas e dei para as crianças. Foi uma linda e emocionante algazarra… Uns me abraçaram, outros me beijaram… Quando eu ia saindo, olhos umedecidos, uma delas me perguntou: – Quem é você?!
– Sou Papai Noel- respondi.
– Não é nada, você não tem barba!?- exclamou.
– Mas tenho coração!
Dei-lhe mais um abraço, um beijo e fui-me…
Feliz Natal, Papai Noel!
E fique com o abraço de um homem que não deixou a criança morrer em seu coração, apesar de nunca ter ganho um presente de Natal.

No Natal de 1914 foi disputada a mais bonita partida de futebol de todos os tempos

Natal de 1914, o primeiro desde que eclodiu a I Guerra Mundial. Nas trincheiras de Ypres, Bélgica, soldados alemães montam suas árvores de Natal adornadas com velas acesas e as espalham pelas trincheiras. Entoam seus cânticos de Natal enquanto montam as árvores. Nas trincheiras inimigas, relativamente próximas, os soldados ingleses respondem, entoando os seus. Uma trégua é negociada. Os soldados se confraternizam, inclusive franceses e belgas. Mais de 100 mil soldados participaram da trégua, que ocorreu de maneira espontânea.
Para comemorar o fato, soldados alemães e ingleses disputam uma partida de futebol no meio do campo conflagrado. O jogo foi encerrado quando a bola furou ao ser arremessada contra o arame farpado das cercas que “protegiam” as trincheiras. Dizem que terminou 3 x 2 para os alemães. Que importa o resultado? Importa que foi a mais bela partida de futebol de todos os tempos.
Tão bonita e emocionante foi a trégua entre os inimigos nas trincheiras, que os canalhas que governavam os países envolvidos na guerra tomaram todos os cuidados para que o fato não se repetisse nos anos seguintes. “Humanizar” a guerra é com ela acabar.  Sem conflito como fica o poder, os lucros da indústria bélica, o domínio sobre o outro, a ganância e a estupidez?
Para relembrar o belo gesto dos soldados em guerra desde 2011 equipes infantis da Alemanha, Reino Unido, França e Bélgica disputam um torneio em Ypres. Em 2014, quando se “comemorou” os 100 anos do início do conflito, a Premier League inglesa inaugurou um campo com grama artificial em Ypres em homenagem à mais bela  das partidas de futebol.

Quem quiser saber mais sobre o assunto vá até o Brasil Escola- UMA TRÉGUA DE NATAL NA I GUERRA MUNDIAL