Pensamentos “burros” do Barão

Ministro da Saúde diz a asneira do ano

 

O maior problema da humanidade é que a burrice se reproduz no atacado; a inteligência no varejo.

Talvez a maior vantagem de ser burro é o simples fato que a burrice não  incomoda ao burro, nem a dele e muito menos a alheia.


Alguém conhece algum burro deprimido, com questionamentos existênciais ou preocupado com o efeito estufa, por exemplo?  Ele quer é estar com a barriga estufada de comida… O resto que se dane!

 O pior burro é o que pensa que pensa.

Nunca duvide de um burro…

Eu sou burrinho, mas ainda vou me tornar um grande e famoso burrão- politicamente correto, como devem ser os burros que se prezam.

Emburrecer ou não emburrecer, eis a questão?

É preciso resistir à ignorância

Nunca na história da humanidade tivemos tanta liberdade…de concordar. O que, no fim, é o mesmo que nada. 

Discordar nos dias de hoje virou ofensa… grave. Não debatemos mais ideias no Brasil, mas ofensas. Em pleno século XXI estamos retrocedendo às trevas da Idade Média.

Radicalismo religioso; preconceitos de toda sorte e ordem renascem com força inaudita; a ignorância e a estupidez de trogloditas incultos e reacionários são saudadas com louvor por milhões de seguidores nas redes sociais (no caso,antissociais…); a corrupção generalizada corrói a estrutura do Estado- e com ela a democracia, que ainda teima em resistir aos  coices nela desferidos por néscios à esquerda e à direita, que com suas canhestras ideologias autoritárias querem  botar a sua “ordem” na “desordem”. A primeira ordem desses obtusos autoritários, sempre!, é fuzilar quem contestar qualquer dos decretos ditatoriais emanados pelo jumento salvador, colocado no poder pela manada de jegues que o segue. O pior dos crimes em qualquer ditadura é pensar e contestar.

Os que pensam e contestam… bem, esses sempre perdem no varejo, mas vencem no atacado. A inteligência, por mais que a ataquem e tentem destruí-la, no fim acaba por prevalecer.

Quem se lembra dos torturadores da Inquisição? Ninguém…

Mas Leonardo da Vinci, Michelangelo, Galileu Galilei, Shakespeare, Miguel de Cervantes e outros gênios, que viveram no período, estão entre nós até hoje, encantando-nos com suas genias criações e nos dizendo para não desistirmos da humanidade… Da grandeza do espírito humano.

Sigamos, como Dom Quixote, a manter viva a chama da liberdade no meio dos moinhos de vento das trevas da ignorância e da estupidez.

Sinto vergonha

O que me assombra?

A humanidade.

Povos engolindo povos.

Homens escravizando homens.

A tortura me assombra,

A fome de milhões de crianças.

Assombro-me!

Impotente…

À sombra,

Sinto vergonha.

De mim,

De nós,

Por mim,

Por nós…